Servidor Linux Terminal Service Project (LTSP)

ltspServidor LTSP e Seus Protocolos:
Uma visão Sustentável

 

Um breve resumo sobre o que seria um servidor Linux Terminal Service Project:                     

Computadores descartadosOs servidores podem ser utilizados para aproveitar computadores antigos, com uma performance melhor do que a esperada, uma vez que a “antiguidade” utilizará todos os serviços do servidor, até mesmo o Sistema Operacional.
Para a utilização dos serviços, por completo, são utilizados protocolos que precisam ser configurados para o bom funcionamento do ambiente com terminais leves.

Terminal Verde

Assim, enxerga-se uma grande oportunidade para aproveitamento de computadores antigos, com componentes de hardware desatualizados, podendo utilizar um ambiente de rede com o Linux Terminal Service Project e transformar vários computadores “ultrapassados” em máquinas de qualidade.
Para escolas, universidades e até mesmo pequenas empresas, este é um bom tema a se pensar, pois elas precisarão se preocupar principalmente com seu servidor, não tendo tanta preocupação com as estações de trabalho.

 


É isso ai!
Já imaginou utilizar um computador que não possui um sistema operacional instalado?
Ter um gasto efetivamente menor, e se preocupar menos com os computadores dos usuários?

Server LTSP

 

Em conformidade com os constantes avanços tecnológicos, que ocorrem com muita frequência, é totalmente visível o desperdício de recursos e a inutilização de computadores que são descartados (principalmente) por empresas que buscam manter-se atualizadas.

Justamente com o princípio de sustentabilidade, o servidor LTSP é utilizado, tornando computadores antes descartados (desprezados) em computadores que realizarão funções com melhor desempenho.

E para que ele funcione com todos os recursos, são utilizados alguns protocolos principais (DHCP, TFTP, NFS e XDMCP), os quais serão dissertados ao longo deste post.

 

Quadro 1 – Protocolos de rede

Protocolos Conceituações
DHCP Distribuir configurações de rede
TFTP Utilizado para transferência de arquivos (menos robusto)
NFS Utilizado para transferência de arquivos (mais robusto)
XDMCP Utilizado para carregar a interface contida no Servidor, trazendo primeiramente a tela de login e senha para o usuário

 

Servidor
O que é um Servidor Linux Terminal Service Project

Um Servidor Linux Terminal Service Project, é um servidor com uma distribuição linux, que utiliza alguns serviços (protocolos), devidamente configurados para funcionar corretamente e com o intuito de aproveitar computadores desatualizados para o mercado, contribuindo assim para o avanço da sustentabilidade e consciência diante do assunto.

Diante de terminais leves (também denominados terminais burros), que são os computadores desatualizados, está o servidor LTSP, que combinando os protocolos de DHCP, TFTP, NFS e XDMCP, torna possível o bom funcionamento destes terminais, levando o sistema operacional para eles e utilizando os recursos (hardware) do servidor ao invés dos seus.

Isto é possível! E para tal, faz-se necessário uma placa de rede com um slot vago, para ser inserido um chip de boot utilizando o Etherboot (software de apenas 35kb ou 40kb que permite que os terminais deem boot através da rede) ou uma placa de rede onboard utilizando o protocolo PXE (protocolo que pode ser configurado para o LSTP suporta-lo).

 

Configuração do ServidorÍcone Catracas

Por incrível que pareça, o servidor deve ser configurado como se fosse uma estação de trabalho normal (desktop), diferentemente do convencional, pois será esta a tela que os usuários dos terminais irão visualizar.
Os protocolos já citados até aqui, são instalados no servidor através de pacotes, que estão na pasta do LTSP.

Segundo Morimoto o servidor deve ficar desprotegido, pelo menos em quanto conclui as configurações, e esteja funcionando:

De início, deixe o firewall completamente desativado, pois o LTSP utiliza um conjunto de vários serviços, o que torna complicado ir abrindo as portas necessárias durante a configuração. É mais simples começar com um servidor desprotegido e adicionar as camadas de segurança desejadas depois que o LTSP estiver funcionando (Morimoto, C.E, Linux, Redes e Servidores – 2ª edição, 2006, p. 377).

Outro detalhe importante referente as configurações do servidor, é que os componentes de hardware deste, devem possuir capacidade suficiente para suportar a rede que será inserido.
Depende do servidor para que os terminais possam ter bons desempenhos!

 

Lista CorretaIniciando o Processo De Instalação Do LTSP

 O Linux Terminal Service Project é carregado pelos terminais das distribuições Linux. Composto por um conjunto de pacotes, que geram um sistema de arquivos dentro da pasta “/opt/ltsp/i386”, que é compartilhada com os terminais que estão em sua rede e acessada via NFS.

Ao iniciar um terminal leve, com sua placa de rede devidamente configurada, ele envia uma mensagem na rede solicitando as configurações da mesma, esta mensagem é enviada para toda a rede (uma espécie de broadcasting), mas somente o servidor a responde, devido ao protocolo de DHCP que está configurado para atender a estes tipos de solicitações.
Ele então envia as configurações da rede, assim como as informações do Kernel que o terminal deverá carregar através do protocolo TFTP, e a pasta citada acima com a instalação do LTSP que será acessada via NFS.

O protocolo TFTP é utilizado para transferência de arquivos dentro de redes locais. Após o Kernel ter sido carregado pelo TFTP, é então substituído pelo NFS, que irá montar a pasta do servidor em modo somente leitura como diretório raiz.
O próprio LTSP se encarrega de detectar o hardware da estação.

ramdisk iconComo a pasta é criada em modo leitura, todos os arquivos são salvos em um ramdisk. Configurações específicas também podem ser realizadas para cada estação, especificando mouse e resolução de telas.

Por mais que o LTSP possua duas ferramentas de configuração embutidas nele, não são 100% confiáveis, o que torna melhor fazer manualmente e depois consultar ou testar como seria com as suas ferramentas padrões.

Ao fim de todo o processo, o protocolo XDMCP traz a interface gráfica contida no servidor para os terminais, solicitando usuário e senha, e permitindo que o terminal utilize o sistema operacional como se estivesse instalado em seu computador.

 

ServidorO Servidor

 Em um servidor LTSP, todos os softwares e dados são utilizados por todos os usuários, rodando no mesmo servidor, o que garante o compartilhamento de recursos. Caso a rede que esteja montando não seja de grande porte (12, 20 ou mais terminais), um computador normal com Pentium III e 512MB de memória irá suportar em perfeitas condições.
No entanto, se a rede for de grande porte, sentirá perdas de desempenho e para soluciona-lo, invista em seu servidor, ele é único e conseguirá tornar sua rede melhor.

Os servidores com mais de um processador, são adequados para situações em que dentro da rede, possuir terminais que estão solicitando a execução de programas mais pesados à serem carregados ao mesmo tempo.

A memória é tratada da mesma forma como o processador, no entanto com o avanço da tecnologia, atualmente o custo da memória é baixíssimo e assim você pode deixar um servidor com uma quantidade boa de memória.

Outro detalhe importantíssimo, é a respeito dos HD’s (Hard Disks), que conforme todos acessam o mesmo, precisam de uma capacidade alta de armazenamento e cuidado, pois o servidor diferentemente dos terminais, deve ser desligado de forma correta. Uma alternativa para evitar a possibilidade dos terminais desligarem sem querer o servidor, é (utilizando o usuário root) desabilitar a opção de desligamento local e remoto no centro de controle do KDE -> Administração do Sistema -> Gerenciador de Login -> Desligar -> Permitir Desligamento.
Não se esqueça de fazer backups constantemente, pois o HD pode estragar ou corromper-se e as informações contidas nele serem perdidas. Possuindo o backup, basta restaura-lo para o novo HD.

 

“quem tem HD, tem medo” (Morimoto, C.E, Linux, Redes e Servidores – 2ª edição, 2006, p. 380).

 

Estações trabalhoTerminais

Ao utilizar um terminal, uma das melhores práticas é possuir o seu usuário para que ninguém acesse suas informações. Porém, como estão na mesma rede, o usuário pode verificar a pasta que está e o seu usuário. Para evitar que isto ocorra, e usuários “bisbilhotem” uns aos outros, execute o comando: “chmod –R o-rwx /home/usuario” que retirará assim, todas as permissões do usuário, podendo ver somente as informações de seu usuário.

Infelizmente, os jogos são uma das limitações no uso dos terminais, devido as opções gráficas demandarem muito dos computadores, na realidade, do servidor.

Raramente todos os terminais irão rodar ao mesmo tempo algo que gaste os recursos do servidor por um longo prazo, funcionando semelhante como provedores de internet, que não possuem um plano exagerado como o esperado.
Por exemplo: O provedor possui 100 Mb de internet, onde já vendeu 200Mb para seus clientes. Eles acreditam que as pessoas não estarão utilizando a internet ao mesmo tempo, e com isto conseguem distribuir os planos acordados.

Serviços Base

Os serviços usados pelo LTSP e que precisam ser instalados são: tftpd, dhcp3-server, portmap, nfs-kernet-server, xdmcp.
Todos estes, são pacotes referentes aos protocolos e devem ser instalados de forma simples, conforme citado as suas utilizações no servidor.

 



bandeiraCom o propósito de oferecer conhecimento a respeito de servidores LTSP e o uso de seus protocolos, de forma a deixar evidente que os computadores considerados como antigos/ultrapassados, possuem grandes oportunidades, seja estruturando um ambiente para estudos, laboratório de informática ou qualquer outro meio em que estará ajudando a sociedade e aproveitando estes computadores.
Espero que as informações aqui expostas possam contribuir para o incentivo à busca de conhecimento sobre servidores LTSP, protocolos utilizados e a como obter meios sustentáveis para a tecnologia.



Linux PinguimO que achou sobre este assunto?
Deixe aqui seu comentário, opiniões e duvidas sobre Servidores Linux Terminal Service Project, todo comentário e opinião são bem vindos.
Tentarei responder todas as perguntas da melhor maneira possível.
Gostou do post? Então Compartilhe essa informação em suas redes sociais agora mesmo!!

Michel Borges

About Michel Borges

Técnico em informática pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (SECITEC-MT) e Graduando em Sistemas de Informação na Faculdade Mater Dei. Atualmente está atuando como Analista de Suporte Pleno na Viasoft, atendendo aos clientes do ERP PSGA (Prodix), voltado para a área de Agronegócio especializado em Algodoeiras e Fazendas. Áreas de maior interesse: Governança de TI, Liderança, TI Verde, Sustentabilidade, Engenharia de Software
  • Juliao Caetano Pinto

    Um segundo post seria interessante você demonstrar na prática a configuração do servidor LTSP já na última distro LTS do Debian ou Ubuntu…

    • Michel Borges

      Realmente seria muito interessante Juliano, vamos verificar a possibilidade de um post mostrando na prática a configuração do servidor LTSP nas últimas distribuições do Debian ou Ubuntu.

      Muito Obrigado pela contribuição!